terça-feira, 12 de outubro de 2010

Partilha Guiúa

Pediram-me para escrever algumas palavras sobre o projecto. Para o fazer, peguei nos bilhetinhos, nas cartas, vi as fotografias e mandei tudo pelo ar porque nada, por mais que recorde, traduz tudo o que me apetece transmitir. Lá, não escrevi quase nada. As palavras pareciam-me curtas, pequenas e insuficientes, e o tempo dispendido a escrevê-las parecia perdido. Assim, pareceu-me mais próprio passar o tempo a viver e a saborear intensamente cada momento.


Fazer voluntariado é realmente uma experiência muito boa e enriquecedora para qualquer um. Fazer voluntariado pela E.A. é tudo isso e muito mais: é um privilégio, um orgulho. Foi quase enternecedor chegar a Moçambique e ver como o nosso nome está bem cotado, quase inscrito em cada um que se cruzou nos caminhos da Equipa.

Não me apetece falar-vos das amizades que fiz, dos momentos mais difíceis nem dos mais marcantes: só quem os viveu é que verdadeiramente os entende. Apetece-me sim falar das marcas que o projecto deixou em mim: voltei uma pessoa mais humana, mais densa, espero sinceramente que melhor. E mais feliz. E mais consciente. E com o enorme desejo que este curto espaço de tempo que vivi no Guiúa tenha deixado também uma marca na vida de todos os que connosco privaram.

Obrigada E.A., obrigada Manos, obrigada Equipa Missionária da Consolata, pela "amizade e confiança”.

Mariana Madrinha

Sem comentários: