quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Novidades EA

Olá a todos.

O projecto de Setúbal já terminou, tal como o ano passado, os nossos voluntários estiveram a trabalhar em cooperação com o Centro Jovem Tabor e a Cáritas de Setúbal.

Espero que tenham gostado desta experiência, obrigado pela entrega!

Tive também no projecto de Vale de Água que alargou o seu trabalho até S. Domingos, fomos convidados para colaborar também na casa de povo desta aldeia. Neste momento as nossas voluntárias trabalham nestas duas aldeias com a população mais idosa e as crianças.

Hoje parto para Moçambique juntamente com a Bela para fazer a visita aos grupos, começamos por Quissico, depois vamos até Quelimane, o 3º grupo a ser visitado será o Metoro e por fim vamos ao Guiua.

Que Deus esteja connosco nesta viagem e que consigamos encontrar os nossos voluntários cheios de alegria.

Sempre que houver oportunidade irei meter novidades dos grupos,

Abraço

Tamos Juntos

Miguel

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Novidades dos projectos

Olá a todos.

Os nossos projectos estão a correr bem, chegaram todos bem e na chegada tiveram uma surpresa: Carlos e Rui estavam no aeroporto à espera deles.

Grupo do Guiua seguiu no mesmo dia para o local de missão, o grupo de Quelimane seguiu no dia a seguir e o do Metoro 2 dias depois.

Grupos de Portugal também chegaram bem, o de Setúbal já teve a minha visita, gostei de ver o trabalho desenvolvido no centro jovem Tabor e na Cáritas.

2ª parto para Vale de Água para ver o projecto pioneiro que a Equipa d`África está a desenvolver naquela aldeia alentejana.

Parto dia 19 para Moçambique, se quiserem enviar alguma coisa para os projectos avisem, já sabem que só pode ser pouca coisa.

E há novidades: Já não vou sozinho, a Bela vem comigo,

Beijos e abraços

Tamos Juntos

Miguel

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Quissico



Local: Quissico - Inhambane (Padres Palotinos)
Duração: 1 ano. Iniciou em Fevereiro de 2010 e terminará em Janeiro de 2011.
Voluntários: Carlos e Rui

Metoro



Local: Metoro - Cabo Delgado ( Padres Passionistas
Duração: 1 mês e meio
Voluntários: Inês Simões, Ana Amaral, Chloe e Paula Souto.

Vale de Água



Local: Vale de Água ( Junta de Freguesia e Equipa d`África)
Duração: 2 semanas
Voluntários: Zeza, Inês Madrinha, Lisandra, Marta Machado, Rute e Susana

Quelimane



Local: Quelimane - Zambézia (Padres Dehonianos)
Duração: 1 mês e meio
Voluntários: Ana Lopes, Catarina Jardim, Joana Lagos e Rita Roquette

Setúbal




Local: Setúbal (Cáritas e Centro Jovem Tabor)
Duração: 2 semanas
Voluntários: Filipa Mesquita, Catarina Pires, Filipa Rainho, Juliana e Márcio.

Guiua



Local: Guiua - Inhambane (Instituto Missionário da Consolata)
Duração: 1 mês e meio
Voluntários: Sara Marques, Francisco Mata, Isabel Nobre e Mariana Madrinha

Já chegaram a Moçambique e Setúbal

Os grupos que partiram para Moçambique já chegaram a Maputo e na chegada tiveram uma surpresa: Carlos e Rui estavam à espera deles!

Parece que o reencontro foi muito bom!

Grupo do Guiua já partiu para a missão, amanhã é o dia do grupo de Quelimane partir e depois de amanhã é o do Metoro.

Grupo de Setúbal também iniciou o trabalho hoje.

Bom projecto para todos

Tamos juntos,

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Partida dos grupos para Moçambique

Partem hoje os grupos que vão fazer missão em Moçambique.

Este ano partem 12 voluntários para as missões do Guiua, Quelimane e Metoro.

O ponto de encontro será no aeroporto pelas 15:00.


Este ano contámos também com o apoio do IPJ



Bom projecto para todos,

Tamos Juntos

Uma partilha... Até dia 17!

Maltinha, tudo bem desde à bocadinho?

Bem tinha aqui um texto que queria ter partilhado convosco no retiro, mas como não levei o livro comigo, aproveito agora para partilhá-lo.
Acho que é importante para quem vai fazer projecto, para quem já fez será talvez uma confirmação/recordação das experiências passadas, e para quem ainda virá a fazer penso que seja um bom ensinamento para mais tarde pôr em prática.
Parece um pouco longo mas lê-se bem.


Um grande beijinho
Joana


O ACOLHIMENTO

Chegou o dia da partida e, então disse-lhes:
Aquele que te faz mais festa
No dia da tua chegada ou da tua partida
Pode não ser aquele que te acolhe melhor.

Parte sem esperares nada de ninguém,
Apenas crente na riqueza de partir.
Se conseguires partir na paz e na alegria,
Porque vais abraçar outro mundo e outra gente,
Estás a demonstrar que o teu coração é enorme
E a tua partida é verdadeira.

A tua chegada será também uma chegada verdadeira,
pois será uma bênção para quem te recebe.
Não esperes encontrar a felicidade
Se não a levas já dentro de ti.
Enquanto anseias que os outros te façam feliz
Vais destruindo nos outros a capacidade de o fazer.

Todo aquele que parte tem que ser por si só uma bênção.
A sua chegada deve despertar e unir os outros gerando neles a capacidade de acolher.

No acolhimento é tão responsável
Quem chega como quem recebe.
Se alguma vez te sentiste mal acolhido
Deves perguntar se a tua partida e chegada
Foi uma entrega de generosidade
Que enriqueceu os outros
Ou se, pelo contrário, foi uma busca
De satisfação do teu egoísmo

A riqueza da tua chegada
está na quantidade e qualidade de alegria
que conseguiu gerar nos outros.

Se a tua chegada é verdadeira
Vais sentir-te solidário com quem te recebe
E saberás sentir-te bem
De qualquer jeito que as pessoas forem.
É muito importante a tua capacidade
De simpatia e comunhão.

Quanto tu partes deves ter uma carga
De amor maior
Do que quem te recebe
E desse modo compreenderás que todo o acolhimento que os outros te fizerem
Começa em ti.

Há muitas maneiras de acolher,
Mas a única verdadeira
É aquela que dá à pessoa
A possibilidade de ser ela mesma.

É muito bonito que te recebam
Com flores e canções,
Mas aquele que foi capaz de passar
Dois meses em silêncio a teu lado
Conscientemente à espera do que querias fazer
Teve uma capacidade de acolhimento
Tão bonita ou mais que a das flores.

O acolhimento verdadeiro
É aquele que cria condições para a pessoa
Se integrar na totalidade da vida,
Dentro das suas posses.

O acolhimento é festa
E é entrega na acção.
É uma celebração da riqueza humana,
Da pessoa em si,
E celebração de um projecto.

O acolhimento é sobretudo um encontro
Em que todos têm que se abrir
À volta da riqueza da unidade.

Se vais à espera de muitas coisas
Já estás a partir em inferioridade.
E se partes em inferioridade
Nunca te sentirás acolhido.

Por isso, Cristo te diz:
Não leves bolsa, nem alforge, nem duas túnicas…
Ou seja, não esperes dos outros,
Porque a tua riqueza humana e divina
Te basta.
Acolhe para seres acolhido.

Se não aceitas a maneira como te acolhem
Não estás a acolher os outros,
E desse modo como podes exigir
Acolhimento a alguém?


Pe. Zé Luís