quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Notícias do Carlos e do Rui

Olá pessoal, disuite! (ou boa noite, em txitxopi).


Estamos a escrever esta carta para vos contar como foi a nossa chegada à missão e agradecer todo o apoio que nos deram até à partida (nesta altura o Miguel já deve estar a suar dos olhos…) :) .

Depois das aventuras por Joanesburgo e Maputo chegámos à missão na quinta-feira passada, na companhia do Pe. Pedro. Fomos depois recebidos pelo Pe. Juliano, a mamã Marquesa, o papá Ernesto e os jovens da missão. Já estavam tão ansiosos com a nossa chegada que tinham uma festa preparada para a nossa recepção logo no segundo dia, onde tentaram iniciar o Carlos na Marrabenta, embora sem sucesso… Aiiiiiinda… Para além disso mostraram o que aprenderam no ano passado com uns tais de manos da Equipa d’África, exibindo orgulhosamente as suas flautas e guitarras: para que conste os “Quissico’s Band” (ou que raio era aquilo) foram substituídos por “Mussá e a sua banda”. Não está no nome oficial, mas também havia bailarinas!

Fora de brincadeiras, a presença da Sofia, da Paula, do André e da Filipa ainda está muito viva na missão, quer junto dos jovens quer dos padres, e as próprias crianças da vila. Os padres lá vão contando histórias bonitas que não podemos revelar em público, mas que mostram como a vossa companhia foi marcante para eles (deviam ver a cara do Pe. Pedro a ver as fotografias que mandaram! Estava super contente!). Os jovens falam muito dos manos que estiveram cá no ano passado (como eles dizem) e procuram saber se estão bem (excepto a Sofia, claro), contando também algumas histórias, peripécias e brincadeiras que recordam com carinho.

No dia da chegada vínhamos bastante ansiosos por conhecer a nossa nova casa e ficámos deslumbrados mal chegámos ao nosso destino. Depois de nos instalarmos no famoso castelo de Quissico, temos passado estes dias a conhecer a missão e as várias pessoas que nos rodeiam e a programar as actividades que vamos realizar durante o ano. Para além disso, estamos a trabalhar no nosso txixopi, que não é assim tão fácil e ainda arranca umas boas gargalhadas. Os padres também nos receberam muito bem e têm-nos vindo a apresentar à comunidade. Já tivemos o privilégio de jantar com eles no restaurante/discoteca/motel mais famoso da vila e preparar a inevitável rivalidade do Portugal-Brasil do Mundial, para não falar nas brilhantes novelas mexicanas da televisão moçambicana (embora ninguém aguente mais que 5 minutos). Conhecemos também o Padre Paulo e o irmão Jaime de Inharrime que vão estar connosco muitas vezes ao longo do ano, bem como as irmãs aqui de Quissico.

Temos que parar de escrever a carta que amanhã temos de acordar às 6h30 (e é porque não há missa) e já passa da meia-noite. Por isso queremos só aproveitar para agradecer os momentos passados convosco antes de virmos para o projecto e as várias palavras de carinho e incentivo, a presença no aeroporto e o filme feito durante o jantar : ). Desejamos que o Bairro 6 de Maio tenha sido uma boa introdução para um ano de preparação muito enriquecedor e que aproveitem para se entregar e viver cada momento EA. Nós por cá vamos dando notícias.

Tamos juntos. Baci.
Rui e Carlos

1 comentário:

Paulinha disse...

Nao falar assim da banda The Quissico's...vou vos bater!!!Somos unicos ta!
Ainda bem que gostaram...é bom saber que estão do "nosso", agora vosso Paraiso!!
Baci Bacii

Ahhh e dhisuite leva H!!LOLOL mania que ja sabem txixopi
So para voces Ndakudunda gunto para os dois**