quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Partilhando Projecto Guarda...

Nem sei bem por onde começar, pois descrever por palavras o que vivi e senti durante este projecto não é fácil, pois é um turbilhão de emoções!
Mas vou tentar: Aguardava a chegada á Guarda com muita ansiedade, pois nós sabiamos que iamos integrar um projecto da Caritas mas não sabiamos ao certo ao que iamos. Assim que lá chegamos fomos muito bem recebidos e tivemos logo uma reunião de esclarecimento sobre o trabalho que iamos realizar.
Assim integramos dois projectos: um dos projectos era o Crescer em que iamos realizar actividades com crianças/adolescentes dos 6 aos 18 anos e o outro era o NaSer em que iamos dar apoio a mães adolescentes e aos seus filhos (onde existiam crianças entre os 11 meses e os 8 anos), ajudamos ainda na arrumação do roupeiro e no melhoramento de um espaço para mães/filhos.
O projecto foi apenas de 15 dias, no entanto deu para acontecer de tudo um pouco (desde constipações, olhos inchados e outras coisitas mais), viver tantas emoções e tantas experiências. Tenho pena que já tenha acabado, pois anida havia TANTO por fazer e agora os laços de amizade estabelecidos com os jovens estavam cada vez mais fortes… Foi bom ver que nós enquanto Equipa d‘África em tão pouco tempo deixámos amizades, sorrisos e marcamos a vida destes miúdos!!
O nosso grupo mal se conhecia antes de irmos para projecto, no entanto penso que não puderia ter integrado grupo melhor… já tenho saudades das nossas conversas, brincadeiras e: da serenidade e consciência da mana Zeza, da energia e do “projecto” de Boss que é o mano Francisco, da seguidora bestial mais fiel que era e continua a ser a mana Marta, do mano Rui que era a pessoa mais sossegada lá da casa e que por ser ajudante do Boss também sofria conosco e da mana Ana que para mim foi uma revelação: uma pessoa que eu admiro e devo muito pois ela foi quem mais me ajudou na altura em que mais precisei… Um grande OBRIGADO a todos por estes 15 dias maravilhosos!
Posso ainda dizer que este projecto foi das melhores coisas que me aconteceu nos últimos tempos e que me ajudou a crescer e a suportar muita coisa…. Obrigado Equipa d’África por me darem a opurtunidade de integrar este projecto e pela possibilidade de conhecer 5 manos maravilhosos…
Por fim queria agradecer á Caritas da Guarda pela maneira como nos acolheu e nos tratou!

Ass: Juliana

sábado, 22 de agosto de 2009

Partilhando Projecto Padeiras/Setúbal…

A minha cabeça está uma confusão, ainda é cedo para fazer balanços e arrumar tantos sentimentos e tantas experiências novas… Foram 15 dias vividos intensamente. No início tudo parecia estranho: os lugares que ia conhecendo, as pessoas com quem me ia cruzando, mas com o tempo foram-se criando laços, construindo amizades. Seria difícil escolher o local onde me senti melhor. É bom saber que posso ser útil e ao mesmo tempo é assustador perceber que aqui ao meu lado existe tanta gente a precisar de ajuda.
O Centro jovem Tabor (a nossa casa como gostávamos de lhe chamar) com jovens pré delinquentes, no fundo bons miúdos que tiveram pouca sorte ou escolheram o caminho errado. Histórias de vida repletas de sofrimento, camufladas quase sempre por uma máscara de agressividade, que fui descobrindo a pouco e pouco e me fizeram aproximar de alguns deles. Foi bom ver que os cativámos, é bom pensar que enquanto pessoas e enquanto Equipa d’África deixámos algumas marcas.
A Cáritas, onde tive contacto com realidades muito diferentes, por um lado e ainda que por pouco tempo, com as crianças lindas do centro de acolhimento, a necessitar de afecto e de uma família. Os seus sorrisos, abraços, carinhos, os seus olhos a brilhar foram sem dúvida uma lufada de ar fresco para o nosso Projecto. Noutro extremo a energia, as histórias e a sabedoria dos idosos do Centro de dia cativaram-me. Mas sem dúvida que o momento mais duro foi a distribuição das refeições pelos sem-abrigo e pessoas com HIV, a maioria ainda jovens e com uma vida inteira pela frente mas irremediavelmente condicionada. Vi realidades muito diferentes daquelas a que estou habituada, miséria, solidão, rostos carregados, mas na maioria dos casos vi também sorrisos e gratidão.
Houve momentos em projecto em que o cansaço, a desilusão, a comichão e desconforto provocado pelas melgas que me devoraram eram tão grandes que dava vontade de gritar com tudo e com todos, mas foi também nesses momentos que eu percebi o significado da palavra “manos”, um sorriso, um abraço, um olhar, um “vai descansar” ou “deixa estar que eu faço” e tudo parecia bem mais fácil e simples.
Se em 15 dias vivi tudo isto…anseio pelo regresso daqueles que estão em Moçambique, por ouvir as suas histórias e tudo aquilo que estão a viver…quem sabe se para o ano serei eu…e se viver metade do que vivi neste projecto já será bastante.
Cresci, cresci tanto que não consigo descrever, não só graças às pessoas que fui conhecendo mas principalmente graças aos meus manos que admiro e de quem gosto imenso…
É bom estar de volta mas ao mesmo tempo as saudades já existem: dos momentos passados com os manos, das partilhas, das orações, das brincadeiras e actividades no centro Jovem, dos mimos, dos jantares em conjunto, das pessoas que conheci… É bom saber que estão todos à distância de um telefonema.

“O essencial é invisível aos olhos,
só se vê bem com o coração”
(Antoine de Saint-Exupéry)
nunca esta frase fez para mim tanto sentido como neste Projecto.

Lisandra

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Partilhando!

Apesar de não poder integrar um projecto a tempo inteiro decidi ao fim de semana faze-lo.
Só tive oportunidade e ir ao projecto da guarda, pois em setubal o intrave de não podermos ficar lá, fazia com que se tornasse mais complicado com muita pena minha.
A chegada há guarda foi um pouco estranha, pois a 1ª semana foi uma semana um pouco complicada, e chegar, ter um grupo de 6 pessoas juntas há uma semana (pouco tempo mas entre grupo já é muito), tentarmo-nos integrar no grupo é sempre um pouco estranho e difcil, inda para mais para mim, sendo o 1º projecto e o facto de não conhecer ainda as pessoas deixava-me com um pé atrás...mas o grupo que lá estava foi o que se pode chamar não de 5 mas 10estrelas.
Receberam-me bem, integraram-me muito bem onde também vinha ao de cima a experiencia dos mais antigos.
Uma coisa que me impressionou foi ver a diferença do grupo da 1ª para a 2ª semana, uma diferença brutal do à vontade entre eles, do espirito de grupo que se vivia, da alegria entre eles....Para mim foi muito bom poder estar com todos, conhece-los melhor...
O Francisco é aquela pessoa que nunca fica mal,sabe sempre o que dizer ou fazer com um grande ha vontade, o Rui é daquelas pessoas que como se diz nasceu para aquilo tirou o curso certo, com crianças parece uma criança :), A Zéza naquele grupo era a consciencia, mas depois de 2 semanas com a Ana até asneiras a ouvi dizer (as coisas que a Ana faz), a Marta de uma semana para outra estava uma pessoa completamente diferente, muito mais dada... a Ana para mim foi uma grande surpresa, foi a pessoa com quem mais falei e conheci. Era daquelas pessoas que me assustava mas depois de conhecer por baixo daquela aparencia de besta há uma pessoa muito picolha até (não me mates ana) com quem gostei muito de falar e conhecer melhor, a Ju não vou falar pois se não não me calo :).
Eu bem te disse que se começasse a escrever nunca mais acabava tento ficar por aqui... mas muito mais havia a escrever...

Às pessoas do grupo um muito obrigado pelo acolhimento e pelos momentos vividos... foram simplesmente experiências únicas na minha vida.......

David

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Novidades do Renato!

ola!

ando perdido aki pela europa, sempre a pensar nos nossos manos que estao longe...
esta tudo bem espero que sim...

estamos juntos especialmente quando olho para as estrelas!

beijinho

R.

domingo, 9 de agosto de 2009

Agradecimento - Causa Metoro

Olá a todos:
Como o prometido é devido e a pedido de alguns de vocês aqui fica as últimas notícias que tenho recebido de Maputo.


Com alegria vos comunico que o Félix já foi operado. Está muito feliz com o resultado da cirurgia e já se encontra de partida para o Metoro.


O Rafael, devido á gravidade do seu problema ainda se encontra em tratamento, permanecendo em Maputo por mais alguns dias. Está animado e confiante que tudo se irá resolver.
Em nome do Padre Fernando, queria agradecer a todos vocês pela vossa disponibilidade e generosidade em contribuírem para este projecto que tanto significou para todos os que nele tiveram envolvidos.

Agradeço não só as vossas contribuições, mas também a vossa disponibilidade em reencaminhar emails e/ou darem algumas sugestões caso não se conseguisse angariar a totalidade do dinheiro.


Devo dizer que conseguimos um pouco mais do que o necessário que será entregue na sua totalidade ao Padre Fernando.


Aproveito também para agradecer á Equipa de África que esteve sempre disponível para ajudar desde o início quando ainda não se tinha a certeza de nada.


Obrigada a todos,
Inês

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Setúbal


Daniela "Preta" Quaresma, Rita Revez, Lisandra Domingues, Carlos Costa

Guarda


Francisco "Básico" Neto, Maria "Zeza" Barroso, Ana Lopes, Rui Florêncio, Marta Machado, Juliana Eusébio

Macomia


Inês "1,53" Mascarenhas, Diogo Ai, Teresa Costa, Andreia Reis

Metoro


Felisbela Paixão, Tiago Swart, Carolina Ferreira, Marta Barros

Maúa


Joana Figueiredo, Vanessa Nunes, Bruno Marques, Sara "Pulga" Marques

Mecanhelas


Sónia Nobre, Denise Deyllot, Rita "Roquet" Roquette, Bob Furtado e Susana Val

Quissico


Sofia Nobre, André Reis, Filipa Mesquita e Paula Souto

A Equipa d´ África ja partiu para missão!

Pois é verdade, no dia 3 partiram os grupos para missão:

21 foram para 5 missões em Moçambique: Quissico, Mecanhelas, Maúa, Metoro e Macomia.

10 foram para 2 missões em Portugal: 6 na Guarda e 4 em Setúbal.

Esperemos que corra tudo bem com eles, acreditamos mesmo que sim, têm todas as condições para tal: entrega, dedicação, amor ...