terça-feira, 21 de julho de 2009

Pedido de ajuda de Mozambique

Caros Amigos

Para aqueles que conheço e para aqueles que apenas partilharam comigo a experiência de viverem o espírito do reencontro da Equipa de África.

Venho através deste mail fazer um pedido de ajuda em nome de dois moçambicanos (Rafael e Félix Mugia), e, do Padre Fernando responsável pela missão de Metero em Cabo Delgado.

Em seu nome peço a vossa ajuda para a angariação de fundos a fim de pagar as taxas exigidas pela LAM (Linhas Aéreas Moçambicanas) na compra dos bilhetes. Essas taxas são 500 Euros. O dinheiro pode ser transferido para a conta da Equipa de África (NIB: 003300000021840607405) sob a indicação METERO ou podem mandar um mail com o vosso nome e quantia doada.

A História….

Em Março desde ano quando me encontrava a caminho do Brasil o Padre escreveu-me com o seguinte pedido de ajuda: “Inês, foi identificado dois homens, cujas as idades não temos a certeza, que nasceram com deformações ao nível do rosto. Como sabes, as consequências quer a nível de saúde, quer a nível da sua integração na sociedade local podem ser significantes. Peço que vejas se é possível eles irem ao Brasil com o propósito de aí realizarem o seu tratamento”.

Este foi um pedido muito especial para mim, não só porque veio de um grande amigo como também me toca especialmente, uma vez que, estes homens nasceram com o mesmo problema que eu. Na minha cabeça ficou claro que eles iriam ter o melhor tratamento posssível tanto quanto eu o tive.

Falei com o director do Hospital de Anomalias Cranio-Faciais da cidade de Bauru (SP) conhecido por Centrinho. Este hospital é responsável pelo tratamento de 80 mil pacientes mais os que todos os dias chegam de todo os cantos do Brasil e alguns países da América Latina.

O caso foi exposto com a delicadeza merecida e a resposta foi imediata, concerteza que o hospital se responsabiliza por todo o tratamento. O problema colocava-se ao nível burocrático, teria de haver um pedido do Ministério da Saúde Moçambicano á Embaixada Brasileira que por sua vez iria reencaminhar este pedido ao Ministério da Saúde Brasileiro.

Como sabemos, a nível burocrático, os processos são bastantes complicados tanto am Moçambique como no Brasil, agravando-se pela falta de uma pessoa presente que pudesse mover o processo ou por algumas notas que sem se saber bem porquê ou de onde vêm cumprem um papel fundamental nestas negociações.

Este problema assustou o Padre que quis, sem mesmo antes termos tentado, desistir. Mas a persistência foi mais forte e escrevi para uma Organização Inglesa que me reencaminhou para a SMILETRAIN.

A SMILETRAIIN, é uma Organização Internacional que nasceu a partir de um projecto idêntico ao nosso, constituído por médicos americanos que pertenciam ao corpo de paz. Ao irem á Indía ficaram surpreendidos pela quantidade de crianças que nasciam com mal formações, grande parte delas com fissura lábio-palatal.

Escrevi para eles e compreendi que esta organização é responsável por um trabalho de ajuda humanitária que envolve empowerment comunitário, através da capacitação médica no aperfeicoamento de técnicos para a realização destas cirúrgias, tecnologia avançada e educação.

Ela é responsável pela realização de dezenas de milhares de cirúrgias em todos os cantos do mundo, dando a estas crianças e adultos o direito a uma vida de não exclusão, onde em muitas sociedades um handicap físico pode determinar uma vida de isolamento.

Foram eles que me indicaram que há em Moçambique dois hospitais capacitados para a realização destas cirúrgias, Beira e Maputo.

Em Junho, quando tudo parecia ter dado certo ao fim de muitos emails, organização de agendas e angariação de fundos, onde a LAM teve um papel preponderante ao nos conceder as viagens de graça, eles partiram para a Beira. Infelizmente Rafael teve malária o que impossibilitou a realização da cirúrgia e descobriu-se que o problema de Félix não se tratava de fissura lábio-palatal e sim de um defeito derivado de uma doença que teve enquento novo, só havendo recursos para o seu tratamento em Maputo.

Mais negociações se seguiram, felizmente desta vez com ajuda de uma médica que nos orientou neste processo.

Com alegria vos digo que quarta – feira desta semana, eles partem para Maputo para a realização das suas respectivas cirúrgias. Mais uma vez, a LAM responsabilizou-se pelas viagens mas exigiu o pagamento das taxas.
Penso que se cada um de nós der um pouco que seja, podemos todos dizer que contribuímos para que este sonho seja possível.

Peço desculpa aos mais ocupados pela dimensão deste mail. Acreditem que já houve muitos cortes e costuras, no entanto penso que aqui está o essencial para perceberem como toda a história se desenvolveu.

ESPERO CONTAR COM O VOSSO APOIO

Se precisarem de esclarecer alguma dúvida podem mandar um mail (inesalmeidaribeiro@gmail.com) ou telefonarem para 913573221.

Caso estejam interessados em saber um pouco mais sobre a SMILETRAIN podem ir www.smiletrain.org

"...one of the most productive charities—dollar for deed—in the world." (The New York Time)
´

Equipa d´ África e Inês Ribeiro

Sem comentários: